A Guerra das Calças

24 março 2010 comentários
Há pouco comentava com minhas filhas o quanto a gente teve que brigar por algumas coisas que hoje ninguém poderia imaginar, e nem faz tanto tempo assim. Em 1970 eu trabalhava como auxiliar  de mídia da Denison Propaganda. Para quem não sabe, São Paulo gela no inverno e ainda mais no alto da Av. Paulista, é duro... Tinha que pegar um  onibus e andar  dois quarteirões (no salto alto) para chegar ao escritório. Um buraco de ar-concionado aberto, se encarregava de gelar nossas pernas o dia todo. Pois bem, um dia me enchi de coragem e meti uma calça comprida e fui trabalhar. Imaginem. A secretária sisuda do meu chefe carrancudo, o Hélio Abud, mando me chamar ao gabinete e mandou sem dó:
- Mas o que é isso? Você não sabe que não admitimos mulheres trabalhando com calças?
Respondi calmamente:
-Não foi para me mandar tirar as calças, num frio desses, que você me chamou para esse particular não é?
Graças a Deus ele riu e pudemos conversar sobre o absurdo da exigência. Daquele dia em diante, as moças do departamento de mídia da Denison puderam trabalhar tranquilamente, mais discretas e elegantes com suas calças compridas.
Isso parece brincadeira, mas não é mesmo. É só uma das incontáveis batalhas que a mulher travou e ainda trava contra o preconceito e a desigualdade.

Recebí por email esse recorte de jornal publicado em Portugual em 1969 com a foto "escandalosa" das alunas da Faculdade de Letras de Lisboa.

Pensa que acabou esse tempo? Que nada!! Há pouco tivemos o  caso da Geise  , aluna da Unibam que foi expulsa da faculdade por causa da indumentária.  É mole ou quer mais?

comentários

Postar um comentário

« »