Perdas e ganhos . Uma mulher na menopausa.

03 abril 2010 2 comentários
Alguém me disse que eu envelheceria, mas quem disse que eu acreditava? Isso era conversa de tias, provavelmente chateadas com a vida. Comigo não aconteceria. Aos 20 anos eu era imortal, aos 30 mãe de filhas, aos 40 profissional em ação. Velhice? Coisa que eu via e respeitava nos outros. "Festa estranha com gente esquisita..."
Quando os sintomas da menopausa se apresentaram, eu não identifiquei. Chamei de stress. Mas a depressão, o medo, o pânico, as ondas de calor, o excesso de peso e os sentimentos desproporcionais me levaram ao psiquiatra que me receitou a tal paroxetina que me deixou calma mas tirou totalmente o desejo, a libido (tirou a calma do marido). Meu ginecologista depois de  "trocentos" exames,  sugeriu a reposição hormonal. Desastre! Passei mal com a droga da droga mas não desisti de procurar uma saída até encontrar a Tibolona. Não estou aqui fazendo propaganda de coisa nenhuma, mas relatando o que aconteceu comigo, certo?
Tibolona (Livial®)
A grande vantagem do Tibolona é sua ação específica, agindo diferentemente em cada parte do organismo. Essa substância não tem quase nenhuma ação sobre a mama e sobre o endométrio, que são os locais de risco de câncer e onde os estrógenos geralmente têm ação.
Por outro lado, o Tibolona age sobre a área da sexualidade, melhorando a libido e o desempenho.
O Tibolona tem as seguintes vantagens:
Ação específica sobre o osso, prevenindo a osteoporose.
Ação específica sobre o coração com possível redução dos riscos de doenças.
Possível nenhuma ação  na Mama.
Possível nenhuma ação no Endométrio.
Possível prevenção da Doença de Alzheimer.
Aumenta a libido.
         Melhora a mucosa vaginal.
(Informações do site PsiqWeb )

Bem, estou acima do peso, mas o tratamento com a Tibolona associado a psicoterapia com administração de Fluoxetina, mais exercícios, uma atividade prazerosa na Internet e a autoridade que os 56 anos de vida me conferem (rs) estão me permitindo viver esse tempo. Não estou sempre bem, mas quem está?  Os conflitos da envelhecência, não diferem muito dos da adolescência. Então... Vam'bora viver!

Deixo um poema da Lia Luft para reflexão e deleite. Foi o que ofereci ao meu marido.



Canção na plenitude

Não tenho mais os olhos de menina
nem corpo adolescente, e a pele
translúcida há muito se manchou.
Há rugas onde havia sedas, sou uma estrutura
agrandada pelos anos e o peso dos fardos
bons ou ruins.
(Carreguei muitos com gosto e alguns com rebeldia.)

O que te posso dar é mais que tudo
o que perdi: dou-te os meus ganhos.
A maturidade que consegue rir
quando em outros tempos choraria,
busca te agradar
quando antigamente quereria
apenas ser amada.
Posso dar-te muito mais do que beleza
e juventude agora: esses dourados anos
me ensinaram a amar melhor, com mais paciência
e não menos ardor, a entender-te
se precisas, a aguardar-te quando vais,
a dar-te regaço de amante e colo de amiga,
e sobretudo força — que vem do aprendizado.
Isso posso te dar: um mar antigo e confiável
cujas marés — mesmo se fogem — retornam,
cujas correntes ocultas não levam destroços
mas o sonho interminável das sereias.


Texto extraído do livro "Secreta Mirada", Editora Mandarim -

comentários: 2

Silvana Mello 04/04/2010 09:45

É, menopausa é todo esse processo. Como tenho enxaqueca, tenho mais restrições ainda à medicamentos.Estou num mix de isoflavonas+pilates+caminhada .Também faço uso de amora miúra, em cápsulas.
Adorei o poema, muito lindo.
Bjss

Fê Dutra 07/04/2010 08:49

Penso que o segredo e curtir cada momento de nossas vidas. Afinal, eles são únicos e não voltam mais.
Beijo grande

Postar um comentário

« »